http://d1x4bjge7r9nas.cloudfront.net/wp-content/uploads/2016/09/23202949/22092016-sargento-isidorio-boquiaberto-estudio-debate-tve-foto-roberto-viana-ag-haack-bahiaba.jpegTermo foi amplamente utilizado pela campanha de Jair Bolsonaro para atacar Fernando Haddad, apoiado pelo deputado no 2º turno.

Apoiador de Fernando Haddad (PT) no segundo turno presidencial, o deputado federal eleito Pastor Sargento Isidório (Avante) fez uma postagem na qual critica a “ideologia de gênero”, um dos itens que o então candidato Jair Bolsonaro (PSL) prometeu combater em seu programa de governo.

O termo também foi amplamente utilizado pela campanha do capitão reformado do Exército para atacar o ex-prefeito de São Paulo.

“A ideologia de gênero é uma aberração!”, escreveu Isidório nesta terça-feira (30) em sua página no Facebook. Dezenas de seguidores criticaram o deputado estadual nos comentários.

isidorio ideologia genero facebook

“E você tava concordando com tudo isso quando fechou com Haddad, o povo não vai esquecer!!!”, escreveu um. “Olha ele que tava apoiando tudo isso. Para de ser hipócrita”, postou outra.

 

Às vésperas do primeiro turno, Isidório anunciou que ficaria neutro em uma eventual disputa entre Bolsonaro e Haddad.

Na ocasião, contou, inclusive, que tinha mandado jogar fora 3,5 milhões de santinhos nos quais aparecia com o petista, associado pelo pastor ao “kit gay”.

Duas semanas depois, disse que, alertado pelo governador Rui Costa sobre fake news, decidiu votar no candidato do PT.

Para tentar atrair o voto de evangélicos, Haddad mudou trechos do seu programa de governo: onde antes eram citadas “políticas de promoção da orientação sexual e identidade de gênero”, foram inseridas “políticas de combate à discriminação em função da orientação sexual e identidade de gênero”.


Foto: Nadja Kouchi/ Roda VivaJuiz federal que condenou Lula afirma que convite ‘será objeto de ponderada discussão e reflexão’.

O juiz federal Sérgio Moro disse, em nota à imprensa, nesta terça-feira (30), que está “honrado” com a possibilidade de assumir o ministério da Justiça ou integrar o Supremo Tribunal Federal (STF), após declaração do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

“Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão”, disse o magistrado, que é o principal juiz da Operação Lava Jato no Paraná. Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá, em julho de 2017.

“Pretendo conversar previamente com ele. Com toda certeza será uma pessoa de extrema importância [em meu governo]”, disse Bolsonaro à TV Record.

Fonte: Uol

Foto: Divulgação/PFSegundo advogado, ela não compareceu por problemas de saúde; ex-ministro será ouvido na quarta-feira (31).

A mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima, Marluce Vieira Lima, não compareceu à audiência que ocorreu nesta terça-feira (30), em Salvador, no processo do Supremo Tribunal Federal (STF) em que é investigada pelos R$ 51 milhões, encontrados em um apartamento da capital baiana no ano passado.

Marluce foi representada pelo advogado Gamil Foppel, que representa a família Vieira Lima no caso. Em entrevista ao G1, o defensor disse que a cliente não compareceu à audiência por conta de problemas de saúde. Ele apresentou dois atestados e uma prescrição médica para justificar a ausência de Marluce.

Também foram convocados para prestar depoimento o empresário Luiz Fernando Machado da Costa Filho e o ex-assessor do deputado Lúcio Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão. Eles compareceram à audiência, mas o conteúdo da oitiva não foi divulgado.

O depoimento de Geddel, em Brasília (DF), onde está preso, está marcado para esta quarta-feira (31).

Fonte: Redação

Foto: Lula Marques/ Agência PTAs associações de magistrados lembram que, para assumir o cargo, ele teria que abandonar a função de juiz.

O ex-presidente Lula volta a colocar em xeque o suposto uso da máquina jurídica brasileira a serviço da política e, de acordo com aliados, vai usar o depoimento do juiz da Lava Jato, Sergio Moro, sobre o processo que apura a propriedade e reformas no sítio em Atibaia (SP) para fundamentar a tese em oitiva no dia 14 de novembro.

Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, o petista vai questionar a imparcialidade do juiz de primeiro grau ao abordar a possível nomeação do magistrado ao Supremo Tribunal Federal (STF) ou ao ministério da Justiça pelo presidente leito Jair Bolsonaro (PSL).

Embora o capitão da reserva confirme o propósito de ter Moro como aliado e assessor, como em entrevista à Record TV, as associações de magistrados lembram que, para assumir o cargo, ele teria que abandonar a função de juiz.

Fonte: Redação

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

No Nordeste, onde Fernando Haddad (PT) foi melhor do que Bolsonaro, o índice de pessoas que acham que armas devem ser proibidas é ainda maior: 65%.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (29) aponta que o eleitorado brasileiro parece discordar do discurso do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) a favor do posse de armas.

Segundo a pesquisa, 55% das pessoas dizem acreditar que a posse de armas deve ser proibida, pois representa ameaça à vida de outras pessoas. Por outro lado, para 41% dos entrevistados, a arma legalizada deveria ser um direito do cidadão para se defender. Há ainda 4% que disseram não saber.

No Nordeste, onde Fernando Haddad (PT) foi melhor do que Bolsonaro em todos os estados, o índice é ainda maior: 65%.

A proposta de ampliar o posse de armas consta no plano de governo do presidente eleito e já foi defendida pelo “braço direito” dele, o senador Magno Malta (PR-ES), logo após o resultado das urnas.

Aceitação da homossexualidade – O Datafolha também ouviu os eleitores sobre a aceitação da homossexualidade.

Em 2011, ele chegou a afirmar que: “Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui. Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí”. Ao decorrer da campanha das eleições deste ano, ele recorreu a um tom mais ameno, dizendo que não é homofóbico, embora tenha declarado que iria acabar com “coitadismo” e sua campanha tenha insistido na notícia falsa que relaciona Haddad com um “kit gay”.

Porém, segundo a pesquisa, para 74% dos entrevistados, a homossexualidade deve ser aceita por toda a sociedade. Outros 18% pensam que a homossexualidade deve ser desencorajada por toda a sociedade. Outros 8% que não opinaram acerca do tema.

Fonte: Redação

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil Categoria quer dialogar com a equipe de transição do governo Bolsonaro sobre o atraso na regulamentação da tabela do preço mínimo do frete.

Após um protesto de caminhoneiros realizado nesta segunda-feira (29) em Goiás, representantes da categoria descartaram no momento uma nova greve nacional, nos moldes da ocorrida em maio.

Lideranças dos caminhoneiros dizem, entretanto, querer dialogar com a equipe de transição do governo Bolsonaro sobre o atraso na regulamentação da tabela do preço mínimo do frete, um dos itens prometidos pelo presidente Michel Temer (MDB) para encerrar o movimento do primeiro semestre.

“O Guilherme Boulos [líder do MTST] convocou um protesto para amanhã. Não queremos misturar nossas reivindicações com a manifestação da esquerda”, declarou Ivar Luiz Schmidt, do Comando Nacional do Transporte (CNT).

Para o representante da categoria, os caminhoneiros não querem já iniciar uma relação de oposição ao futuro presidente. “Não é o caso de cobrar dele, até porque a maioria dos caminhoneiros é a favor do Bolsonaro. Queremos conversar com a equipe dele”, acrescentou. Com informações da Veja.

Fonte: Bahia.ba

Foto: Ueslei Marcelino/ Reuters
Foto: Ueslei Marcelino/ Reuters
Presidente já demonstrava preferência pela eleição de Bolsonaro, por conta dos acenos do capitão reformado de não revogar medidas como o teto de gastos.

O presidente Michel Temer (MDB) parabenizou no início da noite deste domingo (28) Jair Bolsonaro (PSL) pela vitória.

Em uma rápida conversa, pelo telefone, ele ressaltou que pretende fazer uma transição tranquila e transparente nos próximos meses.

“Acabei de parabenizar o presidente eleito pela vitória histórica conquistada hoje. Terminada a eleição, é hora de todos, unidos, continuarmos a trabalhar pelo Brasil”, publicou, Temer nas redes sociais. Temer fará ainda um pronunciamento, no Palácio do Alvorada.

Em conversas reservadas, o presidente já demonstrava desde o início do 2º turno preferência pela eleição de Bolsonaro, por conta dos acenos do capitão reformado de não revogar medidas como o teto de gastos e a reforma trabalhista, iniciativas que o presidente considera conquistas de seu mandato.

Fonte: Uol

Foto: Fernando Louza/ Revista Claudia
Foto: Fernando Louza/ Revista Claudia

A advogada Rosângela Moro, mulher do juiz federal Sergio Moro, usou as redes sociais para comemorar a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) para a presidente da República.

No Instagram, Rosângela escreveu “Feliz”, junto com uma imagem do Cristo Redentor ao lado do número 17, da sigla de Bolsonaro.

Em seguida, ela publicou uma imagem em que a bandeira do Brasil é acompanhada da frase: “Sob nova direção”.

https://www.instagram.com/p/Bpfl79ehin7/?utm_source=ig_embed

Fonte: Bahia.ba