Foto: Reprodução/Jornal GGNPresidente em exercício ainda afirmou que ‘compete ao MP apurar para responsabilizar criminalmente e também na área cível’.

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, afirmou no domingo (27) que o gabinete de crise do governo federal já está montado para monitorar e definir ações para Brumadinho (MG) e que, agora, “é com o governo de Minas Gerais”.

“O gabinete de crise está montado. Mas agora é com o governo de Minas Gerais, a condução é do governo de Minas”, afirmou Mourão ao blog da Andréia Sadi, do portal G1.

Sobre punição aos responsáveis pela tragédia em Brumadinho, Mourão disse que “compete ao MP apurar para responsabilizar criminalmente e também na área cível”.


Foto: Reprodução/FacebookEm entrevista, governador disse que ‘não houve mudanças significativas na composição política da base’.

O governador Rui Costa afirmou, na manhã desta segunda-feira (28), que não haverá mudanças nas quantidades de pastas destinadas a cada partido.

“Não estamos fazendo essa alteração. Não houve mudanças significativas na composição política da base. Ninguém disparou em crescimento e ninguém ficou em queda. Vamos manter o equilíbrio político”, declarou o petista.

Equilíbrio na Câmara

Sobre a Câmara dos Deputados, Rui também disse que vai tentar manter o “equilíbrio político”. O governador declarou que vai chamar dois federais para a pasta de secretário e que, além disso, não está exercendo nenhuma influência nos deputados baianos sobre a escolha do próximo presidente da Casa.

“A única coisa que eu estou pedindo aos deputados daqui é extrema atenção para o que eu chamo de pacto federativo. Os estados estão com graves problemas estruturais. Cinco estados estão pedindo socorro, porque estão em colapso”, concluiu o petista.


Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba“Acho que as urnas mostraram que o povo quer renovação”, afirma o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.

O senador eleito Angelo Coronel (PSD) afirma não temer o favoritismo de Renan Calheiros (MDB) na disputa pela presidência do Senado.

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, o ex-presidente da Assembleia Legislativa diz que sua candidatura corrobora com o desejo de mudança clamado pelo eleitor brasileiro.

“Acho que as urnas mostraram que o povo quer renovação. São 46 senadores de primeiro mandato. Não podemos ficar com um Senado a reboque eternamente do MDB. São 50 anos de poder e nós temos que mostrar que o brasileiro tem alternativa, que os senadores têm alternativa também apoiando senadores de outros partidos. Respeito Renan, me dou bem com ele. Já estivemos juntos duas vezes e ele tenta me induzir a retirar a candidatura”, declarou Coronel, que tem viajado o país em busca de votos para conseguir se viabilizar.

“Na minha concepção, todos os 81 senadores têm condição de presidir a Casa. Esse negócio de ser mais novo ou mais velho, de ter ou não mais mandatos, aqui no Senado não entrou ninguém que não tivesse a capacidade intelectual de ser presidente. Eu prego um Senado novo, um Senado diferente, a inovação do Senado. Quero trazer a minha experiência como presidente da ALBA”, acrescenta o parlamentar.

Aliado do PT na Bahia, Coronel afirma que, se eleito, não atuará para travar o governo Bolsonaro. “Não podemos torcer pelo desastre do governo”, afirma.


Reuters/Adriano Machado/Direitos Reservados Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, 292 pessoas permanecem desaparecidas.

Paula Laboissière
O número de mortos após o rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho subiu para 60, segundo informações divulgadas há pouco pela Defesa Civil de Minas Gerais. De acordo com o porta-voz do órgão, tenente-coronel Flávio Godinho, 382 pessoas foram localizadas, e 191 foram resgatadas e 292 permanecem desaparecidas. Dos 60 mortos, 19 foram identificados até o momento. Há ainda 135 pessoas desabrigadas.

Durante coletiva de imprensa, o porta-voz do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara, lembrou que o tipo de atuação realizada pelas equipes de busca e resgate é bastante delicada, já que envolve milhões de metros cúbicos de rejeito. A previsão, segundo ele, é que os homens permaneçam no local por semanas. As chances de encontrar sobreviventes, entretanto, são consideradas baixas.

“As chances são muito pequenas considerando o tipo de tragédia, que envolve lama”, disse, ao explicar que os rejeitos dificilmente permitem a formação de bolsões de ar. “É uma operação de guerra, que demanda esforços e compreensão de todas as partes”, afirmou.


http://d1x4bjge7r9nas.cloudfront.net/wp-content/uploads/2019/01/24081243/haddad-antonio-costa-foto-ricardo-stuckert.jpgPetista finalizou sua passagem pelo continente com uma reunião com o primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Costa.

Em agenda na Europa para articular uma frente internacional de esquerda, o candidato derrotado à Presidência Fernando Haddad (PT) finalizou sua passagem pelo continente com uma reunião com o primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Costa.

“Eu acho que essas forças [de esquerda] vão se coordenar para trocarem experiências. Eu devo ir brevemente a Alemanha. O próprio primeiro-ministro [António Costa] sugeriu uma ida à Grécia para falar com o Alex Tsipras, líder do governo grego”, declarou o ex-prefeito de São Paulo, na saída do encontro em Lisboa.

Antes de desembarcar em Portugal, onde também se reuniu com deputados de vários partidos de esquerda, militantes do PT e imigrantes brasileiros, o petista participou de uma série de compromissos na Espanha, também comandada por socialistas.

Haddad esteve com Felipe Gonzáles e José Luís Zapatero, ex-premiês espanhóis, também do PSOE (Partido Socialista), entre outros deputados e militantes. Com informações da Folha.


Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.baForam exonerados 26 secretários parlamentares do gabinete de Isidório, além de outros 16 lotados na vice-liderança da maioria.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Ângelo Coronel (PSD), exonerou 42 comissionados ligados ao Pastor Sargento Isidório (Avante), que renunciou ao mandato na Alba a pouco mais de uma semana do final da legislatura.

Foram exonerados 26 secretários parlamentares do gabinete de Isidório na Assembleia, além de outros 16 secretários parlamentares lotados na vice-liderança da maioria. Os salários dos funcionários somam 186 mil.

O deputado federal eleito explicou que renunciou ao mandato para buscar promoção por antiguidade do cargo de sargento.

“Sou sargento há mais de 30 anos, não quero me aposentar como deputado, eu estou deputado, quero me aposentar como policial, porque sou policial. Eu fiz cursos, quero receber minhas promoções, o ex-governador César Borges não me deu os direitos”.


Foto: Matheus Morais/ bahia.baGleisi ironizou a escolha retórica do atual presidente e disse que ele estreou sem mostrar o que fará com o país.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), criticou o discurso do presidente Jair Bolsonaro, que pregou a libertação do socialismo, durante cerimônia de posse, na última terça-feira (1°), em Brasília.

“Todo governo que não tem projeto precisa de um inimigo a ser combatido. Nós somos o do Bolsonaro, mas não temos medo e vamos enfrentá-lo”, afirmou ela à coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Gleisi ironizou a escolha retórica do presidente e disse que ele estreou sem mostrar o que fará com o país. “Temos 15 milhões na miséria, não universalizamos nem a educação básica. Onde está o socialismo?”.

Hoffmann vai reunir os líderes da sigla no Congresso, a cúpula da Fundação Perseu Abramo e a do Instituto Lula no dia 14 de janeiro para começar a discutir a linha de atuação diante da ascensão de Bolsonaro. “Oposição é oposição”, contou Gleisi.

Dirigentes de partidos que estão alinhados aos interesses de Bolsonaro reconheceram, em privado, que ele deixou a desejar ao não listar medidas ou dialogar com problemas concretos, como o desemprego.


Reprodução: Divulgação/ Sércio FreitasMoa foi morto em outubro do ano passado em discussão por política.

O cantor Márcio Victor revelou na madrugada deste dia 1º de janeiro, durante o Festival Virada Salvador, que lançará uma música em homenagem ao mestre de capoeira Moa do Katendê.

“No dia 4 de fevereiro eu lanço a música ‘Moa do Katendê”. No início, fiquei até com medo, pela história de, de não ser justo ou de pensarem que eu estava querendo me aproveitar da situação. Mas ela diz assim: ‘Moa vai ficar pra sempre no coração porque representa grandão’, que é como a gente diz na favela’”, afirmou Márcio.

O artista Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, conhecido como Mestre Moa do Catendê, foi morto com 12 facadas após uma discussão política em frente ao Dique do Tororó. O crime ocorreu no Bar do João, na localidade do Dique Pequeno, Engenho Velho de Brotas, onde a vítima bebia com um irmão e um primo, pouco depois da meia-noite do dia 8 de outubro.