O MP ainda solicita que o TCU vete o uso de dinheiro público para financiar despesas não justificadas

O subprocurador-geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, solicitou a fiscalização sobre os gastos de autoridades que participaram da viagem ao Vaticano para acompanhar a cerimônia de canonização de Irmã Dulce, neste domingo (13).

Rocha ainda solicita que o órgão vete o uso de dinheiro público para financiar despesas não justificadas. Entre autoridades que foram à Cidade do Vaticano estão o vice-presidente da República, Hamilton Mourão;  e os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), respectivamente.

Na petição, o subprocurador requer a ‘fiscalização de gastos’ para autoridades da Câmara dos Deputados, do Senado, do Supremo Tribunal Federal, da Presidência e Vice-Presidência da República, da Procuradoria-Geral da República e do Ministério das Relações Exteriores.

Fonte: Bahia.ba


Chefes de estados e senadores se reuniram em Brasília para discutir a pautas que deverão ser prioridade na Casa nas próximas sessões

Foto: Reprodução/Facebook

O governador Rui Costa (PT) esteve nesta terça-feira (20) com os governadores do Nordeste, Norte e Centro-Oeste e 51 senadores, na residência oficial do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em Brasília, para discutir as votações da chamada pauta federativa e outros assuntos de interesse dos estados que devem ser priorizados pela Casa nas próximas sessões.

A iniciativa de reunir os representantes dos estados em Brasília foi da Frente Parlamentar das três regiões. Na avaliação de Rui, o Senado está comprometido com os estados para a retomada de capacidade de novos investimentos.

“Definimos pontos que unificam a agenda federativa. Entre eles a questão do fim da Lei Kandir, onde cada estado passa a ter autonomia para regular a questão das exportações. Assim como a participação nas receitas do petróleo, tanto nas concessões como no fundo social, onde a ideia é que ele comece com 30%, mas possa chegar depois a 70% ou 80% em oito anos. São projetos que dão fôlego e autonomia para os estados. Está nas mãos do Senado votar alternativas para a retomada de investimentos nos estados”, afirmou o governador da Bahia.

Também foram discutidos entre senadores e governadores com Alcolumbre o pagamento de precatórios, o Plano Mansueto e o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Essas pautas estão sendo discutidas entre os senadores e o ministro da economia, Paulo Guedes, em uma segunda reunião nesta terça (20).


Foto: Reprodução/É do PovoSerá sacrificante, mas se eles quiserem, vou dar os últimos quatro anos da minha vida por Lauro de Freitas”, afirmou

O empresário Teobaldo Costa, dono do Atakadão Atakarejo, admitiu em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, divulgada nesta segunda-feira (15), que é candidato a prefeito da cidade de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador.

“Acho que posso dar essa contribuição doando os últimos quatro anos da minha vida, porque digo que você vive bem até 70 anos. Até 70 anos você faz tudo o que quer, anda de bicicleta, joga bola, sobe montanha, corre… Depois do 70, você só faz metade do que isso e depois de 80 só o que Deus quiser. Tenho 64 e em 2020 terei 66. Trabalhei 35 anos por 20 horas por dia sem folgar. Não tive infância e nem adolescência. Será sacrificante, mas se eles quiserem, vou dar os últimos quatro anos da minha vida por Lauro de Freitas”, ressaltou.

Na ocasião, ele ainda criticou a gestão da prefeita Moema Gramacho (PT).

“Não sou muito de ficar falando das pessoas, nem de adversário político e nem de ninguém. Acho que a gente tem que mostrar o que é que poderia ser feito e não está sendo feito e o que se pode fazer. Gosto de caminhar, de bater na porta das pessoas, de ouvir as pessoas e dizer para as pessoas que Lauro de Freitas é a sétima economia do estado da Bahia, é uma cidade com 200 mil habitantes, com orçamento de R$ 558 milhões e tem os piores indicadores sociais da Bahia. É uma cidade com apenas duas escolas em tempo integral. A saúde é muito ruim, sem atendimento médico, exame, saúde ou cirurgia. A saúde é um direito constitucional de todos. Educação também”, analisou.

“Em segurança, é da segunda até a quinta mais violenta entre as cidades mais violentas do Brasil, sempre. No saneamento básico, não tem orçamento para esgoto, os rios estão todos entupidos e poluídos. O asfalto não é requalificado há 20 anos. Quando você vai para emprego, é uma cidade que tem uma renda alta, é uma cidade perto de Salvador, mas não gera e não tem emprego. Não tem mão-de-obra qualificada. Precisa dar vários cursos de qualificação paras as pessoas, precisa chamar o empresário para empreender na cidade. Tem que colocar uma equipe técnica competente para liberar os alvarás. Você demora atualmente dois anos para abrir uma empresa ou alvará de construção. Tem muita coisa que é possível fazer e não está sendo feita, completou.

Fonte: Bahia.ba


Foto: Reprodução/ Site oficial Rubens BarrichelloProposta foi feita por Eduardo Salles (PP) e publicada na edição de sexta-feira (12) do Diário Oficial do Estado

O deputado estadual Eduardo Salles (PP) propôs na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) que o ex-piloto de Fórumula1 Rubens Barrichello receba o título de cidadão baiano.

A proposta feita pelo pepista foi publicada na edição de sexta-feira (12) do Diário Oficial do Estado.

Em sua justificativa, Salles diz que a ligação de Rubinho com a Bahia é muito forte, “seja por conta das conquistas que tem em sua carreira que ocorreram aqui, ou pelo amor que tem pela cultura, religiosidade, praias, gastronomia e, principalmente, por seu povo, também apaixonado pelo automobilismo”.

Segundo o parlamentar, a ligação é tão forte que “nesse momento está trazendo novas ideias visando o desenvolvimento da Bahia, seja através do esporte de performance, do esporte com fins de entretenimento, de desenvolvimento social, e ainda, propostas para o desenvolvimento do comércio na região”.

Barrichello tem 47 anos e atualmente disputa a Stock Car.


Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba“As ações se concentram em fazer chegar alimentos e alojar famílias que precisam ser deslocadas para o alojamento provisório”, ressaltou

Após visitar os municípios de João Sá e Pedro Alexandre, no nordeste do estado, que foram atingidos pelo rompimento da barragem do Quati, o senador Otto Alencar (PSD) afirmou em suas redes sociais que o momento é de “prestar auxílio à população atingida pelo rompimento da barragem, cuidar do povo amigo dos dois municípios”.

Ele sobrevoou as cidades acompanhando o governador Rui Costa (PT), no domingo (14).

“As ações se concentram em fazer chegar alimentos e alojar famílias que precisam ser deslocadas para o alojamento provisório. Pedi ao governador que sejam liberados recursos para reconstrução da área e assistência às famílias, especialmente de pescadores”, ressaltou o senador.


Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilAliados do presidente da Câmara veem anúncio de agenda própria do Congresso

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), enviou recados ao Planalto ao enaltecer o Parlamento, os partidos, seus líderes, a oposição e o STF no discurso de aprovação da reforma da Previdência, na quarta-feira (10).

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, nenhum aliado de Maia acredita que o governo vá dividir os louros da vitória. Por isso, a fala foi vista como o anúncio de que a Casa, agora, tem uma agenda para chamar de sua.

As linhas gerais dos próximos passos do Congresso foram delineadas também no discurso de Maia: reforma tributária e administrativa. Os detalhes desse macroprojeto serão alinhavados no recesso. Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), vão dedicar boa parte do período a isso.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, estava em uma reunião quando o resultado da votação na Câmara foi anunciado. Segundo a Folha, interromperam a conversa para avisá-lo. O ministro percorreu corredores parabenizando técnicos que trabalharam na proposta e estavam aos prantos, emocionados.

No início do ano, Maia e Guedes estavam em sintonia. Na quarta (10), no discurso que fez antes de anunciar a aprovação da reforma, o presidente da Câmara mencionou diversos integrantes do governo e do Congresso, mas não citou o nome de Guedes.


Foto: Matheus Morais/bahiaba“Está nas mãos de Deus”, ressaltou o parlamentar

O deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante) reafirmou que irá “lutar” pela Prefeitura de Salvador nas eleições de 2020.

Questionado pelo senador Angelo Coronel (PSD) sobre o projeto de administrar a cidade, em um vídeo postado no Instagram, o parlamentar ressaltou que trata-se de “um sonho”.

“Está nas mãos de Deus. É um sonho nosso, já fui candidato. Acho que o povo de Salvador precisa de alguém que gosta de gente, que não despreze os ricos e não abandone os pobres”, falou.

O deputado também não economizou nos elogios para Coronel. “Fez um trabalho maravilhoso na nossa Assembleia Legislatiiva da Bahia. a presidência da República te espera, o governo da Bahia também”, exaltou.


Foto: Luis Macedo / Agência Câmara“Afirmo categoricamente que nunca mudei ou criei versão, e nunca fui ameaçado ou pressionado pela Polícia Federal ou Ministério Público Federal”, escreveu

O ex-executivo da empreiteira OAS Léo Pinheiro enviou uma carta para o jornal Folha de S. Paulo, reafirmando as acusações que fez contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do tríplex do Guarujá. Ele é testemunha-chave para condenação do petista.

Pinheiro afirmou que todas foram endossadas por provas e rechaça a possibilidade de ter adaptado suas declarações para que seu acordo de delação premiada fosse aceito pela Lava Jato.

“Afirmo categoricamente que nunca mudei ou criei versão, e nunca fui ameaçado ou pressionado pela Polícia Federal ou Ministério Público Federal”, escreveu.

“A minha opção pela colaboração premiada se deu em meados de 2016, quando estava em liberdade e não preso pela Operação Lava Jato. Assim, não optei pela delação por pressão das autoridades, mas sim como uma forma de passar a limpo erros”, completa o ex-executivo da OAS.

Pinheiro diz ainda que seu “compromisso com a verdade é irrestrito e total”. Por isso, a elucidação de “fatos ilícitos que eu pratiquei ou que tenha tomado conhecimento é sempre respaldada com provas suficientes e firmes dos acontecimentos. Trata-se de um caminho sem volta”.

“Não sou mentiroso nem vítima de coação alguma”, afirma. “A credibilidade do meu relato deve ser avaliada no contexto de testemunhos e documentos.”

O ex-presidente da OAS decidiu enviar a carta depois de reportagem da Folha, no último domingo (30), produzida a partir de análise de mensagens obtidas pelo site The Intercept Brasil, ter mostrado que o empreiteiro foi tratado com desconfiança pelos procuradores da Lava Jato durante quase todo o tempo em que se dispôs a colaborar com as investigações.