Transplante de órgãos registra queda de 61% durante pandemia

Entre abril e junho deste ano, menos da metade dos transplantes de órgãos e tecidos do início do ano foram realizados no Brasil. Com a diminuição de 61% dos procedimentos, o número de mortes de pacientes cadastrados na fila de espera entre os dois períodos em todo o país cresceu 44,5%, de acordo com a Associação Brasileira de Transplantes (ABTO).

Entre os dados estão os transplantes de coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim, córnea e medula. Quando comparados o primeiro semestre de 2020 e 2019, a diferença é uma diminuição de 32% em relação a realização do procedimento e 34% no número de mortes.

 

Bahia registra 2.239 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.239 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 2.330 curados (+0,9%). Dos 277.327 casos confirmados desde o início da pandemia, 263.814 já são considerados curados e 7.695 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,29%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (6.093,26), Almadina (5.911,42), Itabuna (5.305,71), Dário Meira (4.976,66), Salinas da Margarida (4.793,52).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 523.864 casos descartados e 85.558 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (10).

Na Bahia, 24.204 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 44 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/Tabela-de-obitos_10092020.jpeg

 

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 5.818, representando uma letalidade de 2,10%. Dentre os óbitos, 55,81% ocorreram no sexo masculino e 44,19% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 52,53% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,55%, preta com 15,49%, amarela com 0,83%, indígena com 0,10% e não há informação em 14,51% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 75,13%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,28%).

Especialistas preveem uma 4ª onda da saúde mental em função da pandemia e do isolamento social

“Não sairemos dessa pandemia da mesma forma que entramos, principalmente aquelas pessoas que já estão comprometidas emocionalmente”. A afirmação é da psicóloga Soraya Carvalho, coordenadora do NEPS – Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio, um serviço de psicologia ligado ao CIATox- Bahia.

Uma pesquisa da Universidade de Oxford analisou 62 mil pacientes infectados pela COVID 19 e identificou ansiedade, depressão e insônia no período de três meses após a infecção. “Este risco é cerca de duas vezes maior do que o esperado entre pacientes que foram hospitalizados”, disse o pesquisador que chefiou o estudo britânico, Maxime Taquet.
Todas as pesquisas e estudos psiquiátricos que vêm sendo realizados no mundo em plena pandemia reforçam a tese do surgimento do que os especialistas chamam de 4ª onda da saúde mental. A expressão “quarta onda” refere-se ao surgimento de novos casos de transtornos mentais ou agravamento de casos já existentes, como consequência aos estressores impostos pela pandemia da Covid 19.
Segundo o psiquiatra baiano André Caribé, tragédias anteriores mostraram que as implicações para a saúde mental podem durar mais tempo e ter maior prevalência que a própria epidemia e que os impactos psicossociais e econômicos podem ser imensos.
“As medidas rígidas de isolamento social que foram implementadas pelas autoridades sanitárias geraram uma ruptura abrupta na rotina dos indivíduos e na dinâmica do funcionamento das cidades. Tal situação provocou um estado de tensão e ansiedade coletivas, pois o isolamento repentino de familiares e amigos, o medo, a ansiedade, o estresse, alterações nos padrões de sono e alimentação produzem inevitavelmente um impacto na saúde mental da maioria das pessoas.”
Prevenção – A Organização Mundial da Saúde afirma que o suicídio é evitável em 90% dos casos. “É um fenômeno complexo, multifatorial e tem uma série de fatores de risco, dentre eles um dos mais bem estabelecidos é o adoecimento mental. Por isso, para se falar em prevenção ao suicídio tem que se falar em melhorias das politicas públicas em saúde mental. Tratamento precoce, acesso rápido a serviços de saúde, orientação à população e a diminuição do estigma são fundamentais para se tentar diminuir o número de casos”, reforça Caribé.
Apesar de todos os fatores complicadores a que a população mundial foi exposta em função da pandemia da Covid-19, os especialistas e estudiosos do assunto, contudo, afirmam que não se sabe, ainda, se este impacto aumentará as já elevadas taxas de suicídio mundiais.
Na Bahia, dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) indicam que entra os anos de 2010 a 2019 ocorreram 8.833 casos de lesões autoprovocadas e desses, 5.160 foram de casos de suicídio. No ano passado, foram contabilizados 634 óbitos por suicídio e esse ano, até agora, foram 384 óbitos.
O suicídio, hoje, representa mais da metade das mortes violentas no mundo, com cerca de 1 milhão de mortes por ano no mundo, o correspondente a aproximadamente um suicídio a cada 35 segundos. O Brasil ocupa o 8º lugar no ranking, com quase 12.000 mortes ao ano.

OMS alerta: Suicídio é a 3ª causa de mortes de jovens brasileiros entre 15 e 29 anos

O suicídio não é um fenômeno recente, mas os números têm impactado tão fortemente os órgãos internacionais de saúde que não há dúvidas: estamos diante de um grave problema de saúde pública. No Brasil, cerca de 12 milhões de pessoas tiram a própria vida por ano, quase 6% da população. No mundo são cerca de 322 milhões de suicídios anuais. O Brasil só perde para os EUA.

Não por acaso, desde 2003, o dia 10 de setembro foi escolhido como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. No Brasil, a campanha Setembro Amarelo foi iniciada há 5 anos.

No mundo, as notificações apontam para 1 suicídio a cada 35 segundos. No Brasil, a cada 46 minutos uma pessoa tira a própria vida. Uma realidade devastadora quando se identifica o perfil das vítimas brasileiras: a maioria é homem, negro, com idades entre 10 e 29 anos, segundo dados do Ministério da Saúde avaliados nos últimos quatro anos e divulgados numa pesquisa no ano passado.

Suicídios e transtornos mentais –

Segundo o psiquiatra Rodrigo de Almeida Ramos, os índices apontam que em mais de 90% dos pacientes que se suicidaram havia uma doença mental relacionada. “Na grande maioria dos casos, o diagnóstico associado era de depressão”, ressalta o médico.

Principalmente entre os jovens, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de drogas. Também são fatores de risco para o suicídio situações como desemprego, sensações de vergonha, desonra, desilusões amorosas, além de antecedentes de doenças mentais.

Mas a notícia mais impactante é: a OMS também afirma que o suicídio tem prevenção em 90% dos casos. O Estado da Bahia está alinhada com a lei10.216/2001 que estimula a permanência do doente mental em casa, recebendo tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial, Caps.

Nos últimos dois anos, a SESAB construiu 10 CAPS em 10 municípios baianos, num investimento total de R$ 2milhões de reais. São eles: Salvador, Candeias, São Francisco do Conde, Simões Filho, Camaçari, São Sebastião do Passé, Itaparica, Lauro de Freitas, Dias D´ávila e Madre de Deus.

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 738 casos de Covid-19

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 738 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,3%) e 1.099 curados (+0,4%). Dos 271.963 casos confirmados desde o início da pandemia, 257.791 já são considerados curados e 8.479 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,39%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (6.041,01), Almadina (5.893,12), Itabuna (5.188,46), Dário Meira (4.95,98) e Salinas da Margarida (4.793,52).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 510.157 casos descartados e 84.863 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta segunda-feira (07).

Na Bahia, 23.548 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 35 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 5.693, representando uma letalidade de 2,09%. Dentre os óbitos, 55,86% ocorreram no sexo masculino e 44,14% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 52,38% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,49%, preta com 15,46%, amarela com 0,83%, indígena com 0,11% e não há informação em 14,74% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 75,07%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,23%).

Com 100 anos, idoso recebe alta após ficar 15 dias internado com Covid-19 na Bahia

Após 15 dias internado, sendo 12 em UTI, Nelson Ramos dos Santos, que tem 100 anos, está curado da Covid-19. O idoso recebeu alta do Hospital São Vicente, em Jequié, na manhã desta segunda-feira (7), feriado da Independência do Brasil.
Natural de Ubatã, o idoso tinha sido atendido inicialmente no Hospital Geral de Ipiaú e foi transferido assim que teve o quadro clínico agravado. “Quero agradecer, sensibilizado, a profunda dedicação dos profissionais de saúde, em todos os níveis de atuação. Cada paciente recuperado é uma imensa alegria para todos”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas.

O Hospital São Vicente é uma das dezenas de unidades contratadas pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para ofertar leitos clínicos e de Terapia Intensiva ao Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, estão disponíveis na unidade 50 leitos, sendo 40 de enfermaria e 10 de UTI.

Bahia registra 2.040 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.040 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 2.252 curados (+0,9%). Dos 270.177 casos confirmados desde o início da pandemia, 255.397 já são considerados curados e 9.153 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,63%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (5.988,52), Almadina (5.856,52), Itabuna (5.108,27), Dário Meira (4.957,98), Salinas da Margarida (4.761,5260).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 505.535 casos descartados e 87.343 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste sábado (5).

Na Bahia, 23.438 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 37 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

Estado anuncia segunda etapa de testes para o novo Coronavírus nas escolas do Subúrbio Ferroviário de Salvador

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) anunciou, nesta sexta-feira (4), as datas da segunda etapa da testagens para o novo Coronavírus nas escolas estaduais do Subúrbio Ferroviário de Salvador. Com a inclusão de mais 16 escolas, a iniciativa visa atender, até o dia 24 de setembro, a mais de 30 mil pessoas, sendo 28.535 estudantes, 1.175 professores e 550 funcionários em todas as 28 escolas estaduais localizadas na região. A programação da primeira fase foi modificada para a ampliação do atendimento.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou a importância da iniciativa. “Nosso objetivo é atender toda a comunidade escolar do Subúrbio ainda neste mês de setembro, mas isto não significa o retorno das aulas presenciais, pois a data ainda não está definida. Queremos ter este diagnóstico da rede e manter o compromisso de cuidar e zelar pela vida dos nossos estudantes, professores e servidores”, afirmou.

O coordenador de Articulação de Projetos para a Educação da SEC, Helder Amorim, explicou a alteração do calendário da primeira etapa de testagens. “A previsão inicial era de conclusão desta fase no dia 23 de setembro, mas a programação foi refeita para o encerramento no dia 12 de setembro, para que possamos ampliar o atendimento para as 28 unidades de ensino localizadas no Subúrbio”, enfatizou, ao acrescentar que os resultados são analisados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN).

Neste quinto dia de testagens, a comunidade escolar do Colégio da Polícia Militar, do Lobato, compareceu para participar da aplicação dos testes na própria unidade escolar. A estudante Leonarda Alves, 17, do 3º ano do Ensino Médio, falou sobre a  iniciativa. “É uma grande chance para a comunidade escolar do Subúrbio realizar o teste sem qualquer custo, sendo que o valor que é cobrado pelo exame é caro. Além disso, é uma forma de avaliar a situação de contágio nas pessoas que frequentam a escola”, disse.

Segundo Daniela Bispo, mãe da estudante Leonarda Alves, a testagem dá uma segurança maior para quem frequenta o CPM. “Esta ação é bastante interessante e necessária para que se tenha um controle sobre a doença e possa ser planejado como podemos voltar às aulas”, comentou.

Para a estudante Stefane Geovana, 15, do 1º ano do Ensino Médio, a aplicação dos testes pode ser o primeiro passo para o retorno às aulas. “É extremamente importante que a escola esteja oferecendo estas testagens, porque nos mostra que há um empenho em analisar uma volta presencial à escola. Espero que possamos estar todos juntos o mais breve possível”.

Para o atendimento, todas as unidades escolares foram preparadas com a higienização do local e disponibilização de álcool em gel e pias com sabão para a lavagem das mãos, além da exigência do uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Os professores e demais pessoas a serem testados deverão utilizar máscaras de proteção para o acesso aos locais. Ao entrar, todos são direcionados para a higienização correta das mãos.

Como está acontecendo a testagem

A testagem acontece de forma centralizada nas escolas denominadas de polos, nos bairros do Lobato, São João do Cabrito, Plataforma, Itacaranha, Alto da Terezinha, São Tomé de Paripe, Paripe, Coutos, Fazenda Coutos, Alto de Coutos, Periperi, Mirantes de Periperi e Vista Alegre de Coutos. O objetivo é facilitar a ida dos estudantes, professores e funcionários e evitar aglomeração.

Veja o calendário para as próximas testagens

– No dia 8 de setembro será realizada a testagem da comunidade escolar do Colégio Estadual Bertholdo Cirilo, na escola-polo de São João do Cabrito que é o Colégio Estadual Aristides de Souza, no bairro de Plataforma. O Aristides de Souza sediará a testagem da própria comunidade escolar, no dia 9 de setembro, e também receberá, na mesma data, a comunidade escolar do Colégio Estadual de Plataforma.

– No Alto da Terezinha, haverá testagem apenas no Colégio Estadual Sara Violeta, que atenderá a sua própria comunidade escolar, no dia 9 de setembro.

– O Colégio Estadual Clériston Andrade será polo para os bairros de Itacaranha e Plataforma e testará no dia 10 a sua própria comunidade escolar; e no dia 11 de setembro, as comunidades escolares do Colégio Estadual Josias de Almeida Melo do Colégio Estadual Luiz Rogério de Souza.

Novas datas – segunda etapa

– O Colégio Estadual Marcílio Dias será escola-polo do bairro de São Tomé de Paripe, que atenderá a sua própria comunidade escolar, no dia 11 de setembro, e na mesma data, a comunidade escolar do Colégio Estadual João Caribé.

– Nos dias 14 e 15 de setembro, o Colégio Estadual Almirante Barroso, polo no bairro de Paripe, atenderá sua própria comunidade escolar e, também, no dia 15, receberá a comunidade do Colégio Estadual Edson Tenório.

  – Também escola-polo em Paripe, o Colégio Estadual Barros Barreto atenderá, no dia 16 de setembro, as comunidades escolares do Colégio Estadual Sete de Setembro e do Colégio Estadual Maria Odete Pithon Raynal. E no dia 17, receberá a sua própria comunidade escolar.

– Nos bairros de Coutos e Fazenda Coutos, a escola-polo Colégio Estadual Anfrisia Santiago receberá, no dia 17, a sua própria comunidade escolar. E no dia 18 de setembro, a comunidade escolar do Colégio Estadual Carlos Barros.

– O Colégio Estadual Ana Cristina Mata Pires, escola-polo do bairro Alto de Coutos, receberá sua própria unidade escolar no dia 18 de setembro.

– Em Periperi, as escolas receberão suas próprias comunidades escolares. No Colégio Estadual Praia Grande, a testagem será no dia 21 de setembro; no dia 22, no Colégio Estadual Nelson Mandela; já no dia 23 acontece a testagem no Colégio Estadual Nossa Senhora de Fátima. Já no Colégio Estadual Lindembergue Cardoso os testes serão no dia 24 de setembro.

– O Colégio Estadual Maria Anita, escola-polo do bairro Mirantes de Periperi, receberá sua própria comunidade escolar no dia 23 de setembro.

– Em Vista Alegre de Coutos, a escola-polo Colégio Estadual Monteiro Lobato, receberá, no dia 24 de setembro, sua própria comunidade escolar.