Bahia registra 2.239 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.239 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 2.330 curados (+0,9%). Dos 277.327 casos confirmados desde o início da pandemia, 263.814 já são considerados curados e 7.695 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,29%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (6.093,26), Almadina (5.911,42), Itabuna (5.305,71), Dário Meira (4.976,66), Salinas da Margarida (4.793,52).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 523.864 casos descartados e 85.558 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (10).

Na Bahia, 24.204 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 44 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/Tabela-de-obitos_10092020.jpeg

 

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 5.818, representando uma letalidade de 2,10%. Dentre os óbitos, 55,81% ocorreram no sexo masculino e 44,19% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 52,53% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,55%, preta com 15,49%, amarela com 0,83%, indígena com 0,10% e não há informação em 14,51% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 75,13%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,28%).

Em setembro, IBGE estima safra recorde de 9,7 milhões de grãos na Bahia em 2020

O oitavo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relativo a agosto, projetou a produção baiana de cereais, oleaginosas e leguminosas, em torno de 9,7 milhões de toneladas, para este ano, o que representa uma expansão de 17,2% na comparação com 2019.

Em julho, o levantamento apontava uma safra anual de 9,5 milhões de toneladas. Em relação à área, o IBGE projeta uma ligeira retração de 0,4% tanto na plantada quanto na colhida na comparação anual, registrando, em ambos os casos, uma extensão aproximada de 3,1 milhões de hectares. A produtividade média estimada é de 3,1 ton/ha, cerca de 17,7 % superior à do ano passado. As informações, divulgadas nesta quinta-feira (10), foram sistematizadas e analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

“Este é um resultado que comprova as políticas acertadas do Governo da Bahia de estímulo à produção agrícola. Importante salientar que, mesmo em meio à pandemia do coronavírus, este é o melhor resultado da série histórica da produção baiana de cereais, oleaginosas e leguminosas”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

A lavoura de soja, cuja colheita está finalizada, ficou estimada em seis milhões de toneladas, a segunda maior da série histórica do levantamento – inferior apenas à de 2018 (6,2 milhões de toneladas). Com isso, houve expansão de 13,5% em relação ao volume produzido em 2019. A área colhida de 1,6 milhão de hectares superou em 2,6% a safra anterior.

A safra de milho foi revisada para próximo a 2,3 milhões de toneladas, em 614 mil hectares plantados, representando uma alta de 38,9% em relação a 2019. A primeira safra do cereal deve ser responsável por 1,8 milhão de toneladas, em 363,5 mil hectares. Por sua vez, a expectativa para a segunda safra da lavoura foi revisada para 480 mil toneladas plantadas em 230 mil hectares, com expressiva alta interanual de 73,9%.

A expectativa para a produção total de café também foi revisada, passando de 203 mil para 219,5 mil toneladas. Com isso, a safra do tipo arábica ficou projetada em 100 mil toneladas, o que representa uma variação anual de 38,1%, e a da canephora ficou em 119,5 mil toneladas, correspondendo a uma expansão de 10,6% na comparação com 2019. Por sua vez, as lavouras de banana, laranja e uva mantiveram, respectivamente, recuo de 18,3%, 0,7% e 38,8% em relação à safra anterior.

A estimativa para o algodão foi mantida em 1,4 milhão de toneladas, representando uma queda de 3,3% em relação à safra anterior. A área plantada ficou projetada em 315 mil hectares, correspondendo a um recuo de 5,1% na mesma base de comparação.

A previsão para o feijão teve queda de 400 toneladas, totalizando 321,1 mil toneladas, ainda superando a produção de 2019 em 10,2%. A área plantada totaliza 434 mil hectares. A primeira safra de 135,9 mil toneladas teve recuo de 21,4% em relação ao ano anterior. A principal contribuição virá da segunda safra, cujo volume estimado é de 184,2 mil toneladas, alta de 56,6% na comparação anual.

Para a lavoura da cana-de-açúcar, o IBGE projeta uma produção de 5,1 milhões de toneladas, alta de 22,4% em relação à safra anterior. A produção de cacau foi revisada para baixo, mas ainda apresentando alta de 12,4% na comparação com 2019, somando 118 mil toneladas.

As projeções ainda indicam uma produção de 963 mil toneladas de mandioca, mantendo-se estável em relação à safra passada. A produção de cebola deve encerrar o ciclo com alta de 3,9% em relação à colheita anterior, totalizando 302,4 mil toneladas. A estimativa para o tomate, no entanto, ficou estimada em 241,2 mil toneladas, que corresponde a uma retração de 12,5% sobre a safra de 2019.

As vendas no comércio varejista baiano registraram o crescimento de 9,7%

As vendas no comércio varejista baiano registraram em julho de 2020 crescimento de 9,7%, frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, após aumentos de 7,7% e 11,1%, respectivamente em junho e maio de 2020. No cenário nacional, a expansão nos negócios foi de 5,2 %, na mesma base de comparação. Esses dados foram apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – realizada em âmbito nacional – divulgados nesta quinta-feira (10), e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento.

“O crescimento das vendas do varejo no mês de julho, em relação a junho, além refletir um impacto menor do quadro de isolamento social, evidencia uma melhora na expectativa em relação ao comportamento da economia nos próximos meses. Vale destacar que esse comportamento representa o terceiro resultado positivo verificado consecutivamente nos últimos três meses, na comparação sazonal”, ressalta o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

Em relação a igual mês do ano anterior, devido à pandemia do coronavírus, as vendas no comércio varejista baiano registraram, em julho de 2020, recuo de 2,7%. No acumulado do ano, a taxa do volume de negócios foi negativa em 10,1%.

O resultado registrado para o varejo baiano em julho releva que o setor foi influenciado pela liberação do auxílio emergencial e relaxamento das medidas de isolamento social, ocorrida nesse mês. Com uma demanda reprimida e retração no mercado de trabalho, muitos consumidores utilizaram o auxílio para iniciar o seu próprio negócio. Embora o cenário ainda seja de consumo limitado, a expectativa provocada pela abertura gradual do comércio influenciou o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas que subiu 7,7 pontos em julho, para 78,8 pontos. 

Bahia registra 2.040 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.040 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 2.252 curados (+0,9%). Dos 270.177 casos confirmados desde o início da pandemia, 255.397 já são considerados curados e 9.153 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,63%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (5.988,52), Almadina (5.856,52), Itabuna (5.108,27), Dário Meira (4.957,98), Salinas da Margarida (4.761,5260).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 505.535 casos descartados e 87.343 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste sábado (5).

Na Bahia, 23.438 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 37 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

ENEM – Secretaria da Educação do Estado realiza aula virtual

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) promove, nesta terça-feira (18), mais uma aula on-line voltada para a preparação dos estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), pelo  Projeto ENEM 100%. A aula será com o professor de Produção Textual, Renato Dórea, com  transmissão pelo canal do YouTube “Educação Bahia”.

As aulas virtuais do Projeto ENEM 100% acontecem sempre às terças-feiras e sextas-feiras, das 16h às 17h, e seguirão até 18 de setembro, envolvendo diferentes  componentes curriculares.  A iniciativa faz parte de uma série de atividades lançadas pela SEC para fortalecer a aprendizagem dos estudantes que irão prestar o exame. No Portal da Educação, o estudante ainda tem à sua disposição uma apostila que pode ser baixada, por aula, e a programação das próximas aulas que serão realizadas.

As provas do ENEM, na versão impressa, serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021 e, na versão digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Rui Costa vistoria obra da Policlínica de Narandiba nesta segunda (17)

O governador Rui Costa vai vistoriar, nesta segunda-feira (dia 17), às 8h30, as obras de construção da Policlínica de Narandiba (Rua Edgar Santos), em Salvador. Segundo a assessoria do gestor, estão sendo investidos cerca de R$ 18,3 milhões na unidade – R$ 11,3 milhões nas obras físicas e R$ 7 milhões, na aquisição de equipamentos -, que será administrada pela Secretaria Municipal de Saúde.

A policlínica vai ofertar consultas em Angiologia, Cardiologia, Endocrinologia, Neurologia, Gastroenterologia, Otorrinolaringologia, Oftalmologia, Urologia, Pequenos Procedimentos Cirúrgicos, Ginecologia, Pneumologia, Dermatologia, Reumatologia, Anestesia e Ortopedia. Vai oferecer ainda especialidades como Farmácia Clínica, Enfermagem, Psicologia e Nutrição.

Também na policlínica poderão ser feitos exames de Mapa, Holter, Ecocardiograma, Ergometria, Eletrocardiograma, Eletroencefalograma, Endoscopia digestiva, Ultrassonografia Doppler, RX, Ressonância e Tomografia. A unidade terá 2,8 mil metros quadrados de área construída.

Musicoterapia e videoconferência evitam depressão de pacientes com a Covid-19

O motorista Raimundo José de Souza, 58 anos, de Santo Antônio de Jesus, foi diagnosticado com a Covid-19 em 23 de julho. Nesta sexta-feira (14), ele está recebendo alta. Ele foi um dos mais de 400 pacientes de coronavírus atendidos na UTI do Hospital Santa Clara que receberam um tratamento complementar, à base de música e aproximando as famílias dos pacientes por meio da videoconferência a fim de evitar depressão e fortalecer o organismo para combater a doença.
Raimundo diz emocionado que vai reencontrar a mulher os dois filhos. “Quando eu fiz os exames, o pulmão estava muito afetado”. Ele informa que foi internado no Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus e transferido para Salvador, para a UTI do Hospital Santa Clara, onde recebeu as visitas do psicólogo Rafael Ayres. “Só quem passou por isso sabe. Eu saí dos aparelhos de entubação, sem comunicação com a família, e ele apareceu e começou a conversar comigo, cantou para mim com seu violão, fez videoconferência com a minha família. Para a minha recuperação foi maravilhoso, porque estava ali sozinho, sem ter um apoio, e ele chegou, conversou comigo, cantou, foi como se fosse um anjo”.
O psicólogo Rafael Ayres explica que “o hipotálamo é a farmácia do corpo, produzindo uma série de substâncias que servem para a cura. Quando eu comecei a enfrentar o desafio no hospital, eu descobri uma coisa muito interessante: a técnica da escuta não era suficiente, eles queriam falar com a família. E a ansiedade, a tristeza e a depressão atrapalhavam na recuperação e na alimentação, especialmente dos idosos. Havia pacientes que se abatiam em minutos”, afirma Ayres.
Segundo Rafael, ele começou a buscar uma estratégia para mudar esse quadro. “Então eu comecei a levar o celular para os hospitais, que foi permitido como uma ferramenta essencial para se fazer videoconferências com os familiares em tempos de pandemia. Mesmo assim, eu percebia que havia pessoas que precisavam de algo mais dinâmico, e a música reverbera no corpo inteiro. Se ouvimos músicas tristes, começamos a sofrer, se ouvimos músicas alegras, ficamos mais alegras”.
O psicólogo defende que pensamento gera sentimento e que sentimento gera comportamento. “Então os pacientes passaram a não deprimir, não rebaixar o humor, passaram a acreditar que vão sair do hospital. Então, às vezes, quando eu estava com um paciente, os outros iam para a porta assistir e começavam a dançar e cantar também. Então, esse é um fenômeno interessante, que tira o paciente do caos e possibilita que ele enfrente a doença, facilitando a sua cura”.

Para a diretora geral do Hospital Santa Clara e também da Fundação Fabamed, Cláudia Carvalho, “a música como alternativa terapêutica teve início após a Segunda Guerra Mundial, no auxilio da recuperação dos soldados feridos. Ofertamos nas unidades geridas pela instituição, pois é uma prática integrativa ajuda na interação com o mundo, relaxamento, aguça os sentidos, proporciona movimento ao corpo, melhora a coordenação motora e auxilia na cura das doenças”, ressalta Carvalho.

Bahia registra 3.935 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.935 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +1,9%) e 2.889 curados (+1,6%). Dos 206.955 casos confirmados desde o início da pandemia, 187.333 já são considerados curados e 15.420 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 414 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (32,38%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Almadina (4.612,01), Dário Meira (4.481,79), Gandu (3.919,39), Itapé (3.823,76) e Itajuípe (3.767,51).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 395.261 casos descartados e 82.842 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (13).

Na Bahia, 17.611 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 67 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 4.202, representando uma letalidade de 2,03%. Dentre os óbitos, 55,81% ocorreram no sexo masculino e 44,19% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 50,40% corresponderam a parda, seguidos por branca com 15,04%, preta com 14,97%, amarela com 0,90%, indígena com 0,10% e não há informação em 18,59% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 76,13%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (78,02%).