Coronel diz não temer favoritismo de Renan na disputa pela presidência do Senado

Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba“Acho que as urnas mostraram que o povo quer renovação”, afirma o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.

O senador eleito Angelo Coronel (PSD) afirma não temer o favoritismo de Renan Calheiros (MDB) na disputa pela presidência do Senado.

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, o ex-presidente da Assembleia Legislativa diz que sua candidatura corrobora com o desejo de mudança clamado pelo eleitor brasileiro.

“Acho que as urnas mostraram que o povo quer renovação. São 46 senadores de primeiro mandato. Não podemos ficar com um Senado a reboque eternamente do MDB. São 50 anos de poder e nós temos que mostrar que o brasileiro tem alternativa, que os senadores têm alternativa também apoiando senadores de outros partidos. Respeito Renan, me dou bem com ele. Já estivemos juntos duas vezes e ele tenta me induzir a retirar a candidatura”, declarou Coronel, que tem viajado o país em busca de votos para conseguir se viabilizar.

“Na minha concepção, todos os 81 senadores têm condição de presidir a Casa. Esse negócio de ser mais novo ou mais velho, de ter ou não mais mandatos, aqui no Senado não entrou ninguém que não tivesse a capacidade intelectual de ser presidente. Eu prego um Senado novo, um Senado diferente, a inovação do Senado. Quero trazer a minha experiência como presidente da ALBA”, acrescenta o parlamentar.

Aliado do PT na Bahia, Coronel afirma que, se eleito, não atuará para travar o governo Bolsonaro. “Não podemos torcer pelo desastre do governo”, afirma.