Justiça quebra sigilo bancário de secretário da Saúde do Pará

Depois de ser lvo de busca e a apreensão por suspeita de fraudes na aquisição de respiradores, o secretário estadual de Saúde, Alberto Beltrame agora teve autorizada pelo Tribunal de Justiça do Pará as quebras de seu sigilo bancário e fiscal por outro suposto crime.

Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, ele agora é acusado de desvios de verba na compra de garrafas de plástico.

Beltrame nega, diz que não assinou o contrato e que sequer foi ouvido antes das medidas judiciais. “Minha assinatura foi escaneada de outro documento e colada nos despachos da aquisição das garrafas. Abri sindicância para apurar os fatos”, afirma.

Contudo, o Ministério Público estadual acusou o secretário e outros envolvidos de acreditaram na impunidade para fazer uma “verdadeira festa com o dinheiro público para interesses particulares”.

Na ação de improbidade movida pelo Ministério Público, houve pedido de busca e apreensão, mas a Justiça negou –seria a terceira contra Beltrame em menos de um mês.

Segundo o órgão, cada garrafa pet custou R$ 1,5 (vazias, de 240 ml). O contrato foi de R$ 1,7 milhão.