Bahia registra mais de 1,6 mil novos casos de coronavírus nas últimas 24h

A Bahia registrou 1.628 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, o que significa uma taxa de crescimento de 0,9%. Além disso, 54 pessoas morreram vítimas da doença causada pelo novo coronavírus, de acordo com o boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado.

Ainda de acordo com o balanço, dos 193.029 casos confirmados desde o início da pandemia, 175.287 já são considerados curados 13.789 encontram-se ativos e 3.953 tiveram óbito confirmado para coronavírus.

Os casos confirmados foram registras em 413 municípios baianos, sendo 32, 69% dos casos apenas em Salvador. Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Dário Meira (4.295,05), Almadina (4.245,97), Gandu (3.854,58), Itajuípe (3.665,02) e Itapé (3.572,65).

Oito profissionais do Athletico testam positivo para coronavírus

Após a divulgação que o Campeonato Brasileiro começaria no dia 8 de agosto, os clubes e a Federação Paranaense de Futebol (FPF) iniciaram as discussões para a retomada do Campeonato Paranaense. Porém, o sinal de alerta deve ser acendido no Paraná após a testagem de profissionais do Athletico.

Oito colaboradores do clube rubro-negro testaram positivo para a Covid-19, em exames realizados neste último sábado (27), de acordo com informações do GloboEsporte.com. Entre os oito funcionários, estão cinco jogadores e três membros da comissão técnica. O Furacão tem feito esses testes desde o final de maio, mas não divulgou nenhum resultado, nem confirmou esses oito casos.

Os nomes dos profissionais não foram divulgados. A partir de agora, eles deverão ficar em casa, seguindo o protocolo de saúde que recomenda o isolamento social.

Rita Cadilac relata dificuldades financeiras: ‘Estou vivendo com algumas reservas’

Ícone sexual dos anos 80, a dançarina Rita Cadilac relevou em entrevista à revista Quem estar passando por dificuldades durante o período de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus.

A ex-chacrete, que solicitou o auxílio emergencial, contou que vem sendo ajudada por amigos e se mantêm com uma reserva financeira que está prestes a acabar. Rita foi bastante criticada por ter feito o pedido e desabafou:

“Eu sou uma cidadã. E quem pediu foi a cidadã Rita de Cássia. Se não está entrando dinheiro e as contas estão chegando, vou fazer o que? E nem todo artista é rico. Lógico, existem os ricos e existem aqueles que trabalham para sobreviver. E eu sou uma artista que trabalha para viver e para sobreviver”.

Além de ser ajudada, Rita está ajudando produtores locais do bairro onde vive, em Santa Cecília, com divulgação nas redes sociais dos produtos que são vendidos e com o delivery.

Com a pandemia, a dançarina precisou adiar o lançamento de sua biografia, ‘Rita Frente e Verso’, mas se apoia em amigos que lançaram um projeto para vender experiências e shows com ela para depois da quarentena.

“Não quero lançar apenas via internet. Quero lançar do jeito que eu acho que merece, ter um lançamento em uma livraria, com amigos me dando abraços, me desejando felicidades, me dando os parabéns”.