Anitta se revolta e repudia jornalista após fala sobre estupro: ‘Coitada da sua filha’

A cantora Anitta não deixou passar em branco a demissão do jornalista Rodrigo Constantino, da Jovem Pan, desligado da rádio após afirmar que castigaria sua filha caso ela fosse estuprada.

Irritada com o vídeo do ativista bolsonarista, a funkeira foi até as redes sociais de Constantino para expor seu pensamento e se solidarizar com a filha do jornalista.

“Coitada da sua filha. E de você que nunca vai saber quem são seus filhos de verdade, porque nunca vão compartilhar a vida deles com um ser vivo desses”, escreveu em um primeiro momento.

Foto: Twitter

Ainda chateada com a situação, a cantora criou uma situação hipotética com o que foi exposto por Rodrigo, e questionou se ele fosse estuprado qual seria o posicionamento dele. “Se eu te encontrar dormindo no sofá, ou porque você bebeu um pouco a mais numa reunião de amigos, ou porque alguém colocou uma droga na sua água, para não ter que ouvir essas bostas que você fala, e eu comer o seu cu, a culpa também foi sua?”.

No Twitter, Anitta disse que se viu em uma situação descrita por Rodrigo como suscetível ao estupro e nada lhe aconteceu.

Alba: Ângelo Almeida e Josafá Marinho tomam posse nesta quinta-feira

Ângelo Almeida (PSB) e Josafá Marinho de Aguiar (Patriota) substitutos dos deputados estaduais Targino Machado (DEM) e Pastor Tom (Patriotas) – ambos cassados – tomaram posse na manhã desta quinta-feira (5) como parlamentares na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A cerimônia foi comandada pelo presidente da Casa, Nelson Leal (PP).

Targino Machado foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de oferecer consultas médicas gratuitas em clínica clandestina em troca de votos na eleição de 2018. O democrata teve os votos anulados pelo TSE. Já Pastor Tom é acusado pelo MPE de não ter comprovado filiação partidária quando da eleição para o cargo, em 2018.

Biden se aproxima da vitória, mas consolidação de resultados dependerá de batalha judicial

Depois de vencer nos estados de Wisconsin e Michigan, o candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, está próximo de derrotar o republicano Donald Trump na eleição presidencial americana, segundo o portal UOL.

Trump voltou a fazer acusações de fraude sem apresentar evidências, antecipando uma batalha judicial para definir o vencedor do pleito.

A apuração continua e há expectativa de finalização de votos nos estados de Arizona, onde a vantagem de Biden é confortável, e na Geórgia, onde o democrata diminuiu a diferença para Trump e pode até virar.

Ainda faltam cerca de 90 mil votos a serem apurados. A Geórgia envia 16 grandes eleitores ao Colégio Eleitoral. Os resultados no estado de Nevada (6), que retoma a contagem nesta quinta-feira, também podem pesar nesta reta final. Mas a decisão poderá vir também da Carolina do Norte (15) e da Pensilvânia (20), onde a disputa está mais acirrada.

A possibilidade de que um resultado seja definido dentro de vários dias não está descartada: na Pensilvânia os votos podem ser contabilizados até sexta-feira e na Carolina do Norte, até o dia 12 de novembro. Nesses estados, a apuração demora porque o processo de contagem de votos enviados pelo correio é mais lento. As previsões, no entanto, são de que favoreçam o candidato democrata.

Tribunal decide se prossegue com processo de impeachment de Witzel

O Tribunal Especial Misto que julga o impeachment do governador afastado do Rio, Wilson Witzel, decide hoje (5) se o processo prosseguirá ou não. O tribunal é formado por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais.

Para que o processo siga são necessários seis votos. Caso haja um empate entre os dez integrantes do tribunal, a decisão ficará a cargo do presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio, Claudio de Mello Tavares, que presidirá a sessão de hoje.

A sessão começa às 10h, no Fórum Central do TJ. O processo de impeachment começou na Assembleia Legislativa do Rio, onde os deputados decidiram, em setembro, afastar o governador. Witzel já estava afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) desde 28 de agosto.

Wilson Witzel está sendo processado pelo crime de responsabilidade e é suspeito de envolvimento em desvios de dinheiro da saúde.

Transplante de órgãos registra queda de 61% durante pandemia

Entre abril e junho deste ano, menos da metade dos transplantes de órgãos e tecidos do início do ano foram realizados no Brasil. Com a diminuição de 61% dos procedimentos, o número de mortes de pacientes cadastrados na fila de espera entre os dois períodos em todo o país cresceu 44,5%, de acordo com a Associação Brasileira de Transplantes (ABTO).

Entre os dados estão os transplantes de coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim, córnea e medula. Quando comparados o primeiro semestre de 2020 e 2019, a diferença é uma diminuição de 32% em relação a realização do procedimento e 34% no número de mortes.

 

Bahia registra 2.239 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.239 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,8%) e 2.330 curados (+0,9%). Dos 277.327 casos confirmados desde o início da pandemia, 263.814 já são considerados curados e 7.695 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 416 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (29,29%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (6.093,26), Almadina (5.911,42), Itabuna (5.305,71), Dário Meira (4.976,66), Salinas da Margarida (4.793,52).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 523.864 casos descartados e 85.558 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (10).

Na Bahia, 24.204 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 44 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/09/Tabela-de-obitos_10092020.jpeg

 

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 5.818, representando uma letalidade de 2,10%. Dentre os óbitos, 55,81% ocorreram no sexo masculino e 44,19% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 52,53% corresponderam a parda, seguidos por branca com 16,55%, preta com 15,49%, amarela com 0,83%, indígena com 0,10% e não há informação em 14,51% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 75,13%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (76,28%).

Em setembro, IBGE estima safra recorde de 9,7 milhões de grãos na Bahia em 2020

O oitavo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relativo a agosto, projetou a produção baiana de cereais, oleaginosas e leguminosas, em torno de 9,7 milhões de toneladas, para este ano, o que representa uma expansão de 17,2% na comparação com 2019.

Em julho, o levantamento apontava uma safra anual de 9,5 milhões de toneladas. Em relação à área, o IBGE projeta uma ligeira retração de 0,4% tanto na plantada quanto na colhida na comparação anual, registrando, em ambos os casos, uma extensão aproximada de 3,1 milhões de hectares. A produtividade média estimada é de 3,1 ton/ha, cerca de 17,7 % superior à do ano passado. As informações, divulgadas nesta quinta-feira (10), foram sistematizadas e analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

“Este é um resultado que comprova as políticas acertadas do Governo da Bahia de estímulo à produção agrícola. Importante salientar que, mesmo em meio à pandemia do coronavírus, este é o melhor resultado da série histórica da produção baiana de cereais, oleaginosas e leguminosas”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

A lavoura de soja, cuja colheita está finalizada, ficou estimada em seis milhões de toneladas, a segunda maior da série histórica do levantamento – inferior apenas à de 2018 (6,2 milhões de toneladas). Com isso, houve expansão de 13,5% em relação ao volume produzido em 2019. A área colhida de 1,6 milhão de hectares superou em 2,6% a safra anterior.

A safra de milho foi revisada para próximo a 2,3 milhões de toneladas, em 614 mil hectares plantados, representando uma alta de 38,9% em relação a 2019. A primeira safra do cereal deve ser responsável por 1,8 milhão de toneladas, em 363,5 mil hectares. Por sua vez, a expectativa para a segunda safra da lavoura foi revisada para 480 mil toneladas plantadas em 230 mil hectares, com expressiva alta interanual de 73,9%.

A expectativa para a produção total de café também foi revisada, passando de 203 mil para 219,5 mil toneladas. Com isso, a safra do tipo arábica ficou projetada em 100 mil toneladas, o que representa uma variação anual de 38,1%, e a da canephora ficou em 119,5 mil toneladas, correspondendo a uma expansão de 10,6% na comparação com 2019. Por sua vez, as lavouras de banana, laranja e uva mantiveram, respectivamente, recuo de 18,3%, 0,7% e 38,8% em relação à safra anterior.

A estimativa para o algodão foi mantida em 1,4 milhão de toneladas, representando uma queda de 3,3% em relação à safra anterior. A área plantada ficou projetada em 315 mil hectares, correspondendo a um recuo de 5,1% na mesma base de comparação.

A previsão para o feijão teve queda de 400 toneladas, totalizando 321,1 mil toneladas, ainda superando a produção de 2019 em 10,2%. A área plantada totaliza 434 mil hectares. A primeira safra de 135,9 mil toneladas teve recuo de 21,4% em relação ao ano anterior. A principal contribuição virá da segunda safra, cujo volume estimado é de 184,2 mil toneladas, alta de 56,6% na comparação anual.

Para a lavoura da cana-de-açúcar, o IBGE projeta uma produção de 5,1 milhões de toneladas, alta de 22,4% em relação à safra anterior. A produção de cacau foi revisada para baixo, mas ainda apresentando alta de 12,4% na comparação com 2019, somando 118 mil toneladas.

As projeções ainda indicam uma produção de 963 mil toneladas de mandioca, mantendo-se estável em relação à safra passada. A produção de cebola deve encerrar o ciclo com alta de 3,9% em relação à colheita anterior, totalizando 302,4 mil toneladas. A estimativa para o tomate, no entanto, ficou estimada em 241,2 mil toneladas, que corresponde a uma retração de 12,5% sobre a safra de 2019.

As vendas no comércio varejista baiano registraram o crescimento de 9,7%

As vendas no comércio varejista baiano registraram em julho de 2020 crescimento de 9,7%, frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, após aumentos de 7,7% e 11,1%, respectivamente em junho e maio de 2020. No cenário nacional, a expansão nos negócios foi de 5,2 %, na mesma base de comparação. Esses dados foram apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – realizada em âmbito nacional – divulgados nesta quinta-feira (10), e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento.

“O crescimento das vendas do varejo no mês de julho, em relação a junho, além refletir um impacto menor do quadro de isolamento social, evidencia uma melhora na expectativa em relação ao comportamento da economia nos próximos meses. Vale destacar que esse comportamento representa o terceiro resultado positivo verificado consecutivamente nos últimos três meses, na comparação sazonal”, ressalta o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

Em relação a igual mês do ano anterior, devido à pandemia do coronavírus, as vendas no comércio varejista baiano registraram, em julho de 2020, recuo de 2,7%. No acumulado do ano, a taxa do volume de negócios foi negativa em 10,1%.

O resultado registrado para o varejo baiano em julho releva que o setor foi influenciado pela liberação do auxílio emergencial e relaxamento das medidas de isolamento social, ocorrida nesse mês. Com uma demanda reprimida e retração no mercado de trabalho, muitos consumidores utilizaram o auxílio para iniciar o seu próprio negócio. Embora o cenário ainda seja de consumo limitado, a expectativa provocada pela abertura gradual do comércio influenciou o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas que subiu 7,7 pontos em julho, para 78,8 pontos.